terça-feira, 8 de outubro de 2013

80 anos dedicados a família - 8 de outubro de 1933














Hoje quero prestar minha singela homenagem a esta pessoa que sempre foi a minha referencia e o meu exemplo de vida -  o Sr. Manuel Régis Barbosa, o meu paizão.

Quando relembro de sua historia de vida, contada por ele, de muito sofrimento e privações passados por ele e sua mãe. A historia dos punhos de rede, que eram cortados quando sua mãe estava na rede, ou a de jogar água para acordar, estando o senhor e a sua mãe ainda estavam dormindo, é de cortar o coração de quão perversas são as pessoas.  Mesmo com todas estas atitudes e palavras de derrota e desestimulo por seus familiares, o senhor usou isso ao seu favor para superar todos os obstáculos da vida e chegar a ser a pessoa que é hoje.

Com humildade e simplicidade foi transpondo os maiores e menores obstáculos que vida lhe impôs, já foi picolezeiro, engraxate,  oficeboy, pedreiro, carpinteiro etc. Foi aprovado numa unica vaga na companhia de energia eletrica do Amazonas, celetramazon, estudou edificações, foi mestre de obras, comerciante nato, abriu as lojas Arcom - Arquitetura e Construção Ltda, a RECMAT - Régis Materiais de Construção Ltda e a Construtora Régis Barbosa Ltda, dirigindo com afinco, tornando-se proeminente empresario no ramo da construção civil na cidade de Manaus. Construindo a nova sede da Missão Central Amazonas, o templo da Igreja Central de Manaus, as lojas NEMO dos indianos na Zona Franca de Manaus, a cobertura do Banco do Brasil no centro de Manaus dentre outras que me fogem a memoria agora. Nas nossas andanças nos canteiros de obras, lembro-me de qual exigente era o senhor quando algo não estava feito com o devido esmero e perfeição. O senhor ordenava que a obra fosse desfeita e refeita. Aprendi com o senhor que pedreiros não gostam de usar o prumo. Nestes seus 80 anos, quero rememorar alguns termos que me acompanham ate hoje, são estes: "Caboco suburucu, popa de lancha, bandeira azul"; " Quem é coxo, parte cedo"; E para a gente acordar de manhã, o senhor ja chegava gritando - "Padeeeiro!"; e outra, "acorda p'ra cuspir"  "...sofre mais que sovaco de aleijado"; Mais feia que justiça de tefé..., entre outras.

Portanto meu pai, eu só tenho a agradecer pois o que eu me tornei hoje é graças ao senhor e a minha mãe que não mediram esforços para dar do bom e do melhor para mim, dar educação para 7 filhos, amor, dedicação e manutenção, tanto no aspecto material como no espiritual. Feliz Aniversário e que Deus continue lhe dando saúde e toda essa disposição de sempre. O senhor é o exemplo de pai, cidadão politizado, de honestidade e perseverança.




Postar um comentário